BrasilPolitica

Disputa política trava análise do Orçamento de 2021 no Congresso

(crédito: Wilson Dias/Agencia Brasil)

A Comissão Mista do Orçamento (CMO) continua travada por conta da briga pela presidência da Câmara dos Deputados. Os grupos de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e de Arthur Lira (PP-AL) disputam o colegiado, antecipando a eleição para o comando da Casa parlamentar e a formação da mesa diretora, em fevereiro de 2021. Integrantes da base aliada pedem que o governo intervenha e tome partido, mas o Planalto sabe dos riscos que corre se optar por um lado e sair derrotado.

Enquanto ninguém sinaliza com um recuo ou um acordo, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, externou a preocupação do governo com a demora na votação do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2021, impedida pelo impasse na CMO. Para o deputado Efraim Filho (DEM-PB), o acordo firmado publicamente pelos líderes, em fevereiro, deveria ser respeitado. “Temos a maioria consolidada no colegiado para eleger o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA). Estamos aguardando o fim da obstrução dos partidos da base para poder destravar e seguir o fluxo. Vamos acompanhar com paciência o desenrolar e ver como o governo se posiciona”, disse.

Futuro presidente da CMO, caso o acordo seja respeitado, Elmar observa de longe a disputa — está em campanha no interior da Bahia. E espera que o presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), encontre a solução para a questão. O deputado lamentou a postura do Centrão de ignorar o combinado, embolar o início dos trabalhos e ainda interferir no plenário.

“Vejo isso como uma forma lamentável de colocar os interesses pessoais na frente dos interesses do país. É a antecipação das eleições, que serão em fevereiro. Temos urgências importantes para serem tratadas. É um desserviço”, criticou.

Fonte: CorreioBraziliense

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock de Anúncios Detectado

Favor Desabilitar Bloqueador de Anúncios. Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios