prefeitura bonfim 18
TAVARES
Politica

Em protesto contra reforma administrativa, servidores estaduais invadem Assembleia Legislativa

Em protesto contra reforma administrativa, servidores estaduais invadem Assembleia Legislativa

Foto: Alan Oliveira/ G1

Em protesto contra a reforma administrativa proposta pelo governador Rui Costa (PT), servidores estaduais quebraram a porta de vidro da entrada da Assembleia Legislativa do Estado (Alba) e invadiram o plenário, na tarde desta segunda-feira (11). O clima é tenso no local, que fica no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O objetivo dos manifestantes é fazer com que a pauta seja retirada da sessão desta segunda, que foi suspensa após a entrada dos manifestantes no plenário. Até por volta das 16h05, os manifestantes continuavam no local e não havia previsão de retomada da sessão. Participam da manifestação, integrantes do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc), do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindimed/BA) e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB). Com faixas e cartazes, parte do grupo se concentra em frente à Alba, enquanto algumas pessoas entraram no plenário. Os manifestantes pedem a recusa do projeto na Alba. Os servidores temem demissões, além de diminuição de salários e perda de direitos. Em nota, a Secretaria de Comunicação do governo informou que o projeto de lei não reduz salário de qualquer categoria dos servidores públicos e nem representa perdas de direitos adquiridos. No entanto, ainda segundo a nota, o estado diz que “diante de um cenário de aguda crise financeira no país, o governo entende não ser pertinente reajuste salarial igual ao concedido aos ministros do Supremo Tribunal Federal. Os casos em que as ações estão transitadas e julgadas serão cumpridos rigorosamente respeitando a Lei”. As informações são do site G1/Bahia.

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock de Anúncios Detectado

Favor Desabilitar Bloqueador de Anúncios. Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios