Regional

Beneficiários do Planserv reclamam da dificuldade na marcação de consultas


(Foto: reprodução/Agência Brasil)

Os usuários do plano de saúde dos servidores públicos baianos, Planserv, reclamam da dificuldade na marcação de exames e consultas nas clínicas e hospitais, principalmente após as mudanças realizadas no início de 2019. Atualmente, o convênio presta assistência a aproximadamente 517 mil beneficiários em todo estado, entre titulares, beneficiários dependentes (filho menor e cônjuge) e agregados (filho maior de 18 e menor de 24 anos, neto até 24 anos, etc).

Entre os utilizadores do serviço do Planserv está Sandra Leite, de 54 anos. Apesar ampliação da lista da rede conveniada em 2010, a ex-servidora pública, usuária do plano há mais de vinte anos, afirmou que houve uma queda significativa na prestação do serviço nos últimos anos.

“A gente ligava em qualquer período e tinha como marcar consulta. Hoje, não. Para conseguir uma consulta temos que ligar quase dois ou três meses antes. O serviço está muito ruim”, disse.

A estudante de jornalismo Jéssica Requião, de 21 anos, também é uma das afetadas pelas dificuldades geradas pelo sistema de agendamentos. Ela afirmou que constantemente tem dificuldade para agendar consultar e que em algumas oportunidades desistiu por conta da falta de espaço na agenda dos profissionais ligados ao plano.

“É bem complicado. É um ótimo plano, mas costumava ser bem melhor quando não precisa esperar um, dois ou até três meses para conseguir marcar uma simples consulta. Se preciso ir urgente no ginecologista, por qualquer incomodo que for, por exemplo, tenho que, muitas vezes, esperar muito e acabo deixando de ir. Outra coisa que incomoda bastante é retornar após exames na clinica, pois é a mesma situação”, afirmou.

Se uns usuário desistem, outros não suportam a qualidade da assistência e recorrem aos médicos particulares. Esse é o caso de uma funcionária pública que não desejou se identificar relatou à equipe do Varela Notícias. Ela contou que recentemente que precisou fazer um procedimento em uma clínica privada, devido a dificuldade na marcação.

“Precisei realizar uma consulta no dermatologista no início deste ano, mas tive que recorrer ao particular, já que sempre que tentava marcar fui surpreendida com a demora dos médicos. É desgastante demais”, comentou.

Reclamação dos médicos

A situação, no entanto, pode piorar nos próximos meses por conta do impasse entre a administração do convênio e alguns especialistas. Em rede social, o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed) informou que a defasagem dos honorários médicos pode resultar na paralisação na prestação do serviço de 19 especialidades. Entre elas, estão: Cirurgia Geral, Cirurgia Oncológica, Cirurgia do Aparelho Digestivo, Otorrinolaringologia, Mastologia, Urologia, Coloproctologia.

Em campanha divulgada pelos canais oficiais, o Sindimed-BA informa que “há uma absurda defasagem dos honorários”. Além disso, o sindicato que, no último dia 17, algumas “clínicas interromperam a marcação de consultas para outubro”. Na publicação, a entidade afirmou que “a vida não pode estar aprisionada em cotas de atendimento”.

Procurada pela equipe do VN, a Secretaria de Administração do Estado da Bahia, responsável pelo Planserv, comunicou em nota que “as tabelas e honorários médicos reajustados de forma a não comprometer o equilíbrio econômico-financeiro”. E concluiu dizendo que “em consonância com a situação de contingência no cenário econômico-financeiro do Estado, o ultimo reajuste de honorários médicos foi concedido em 2017”.

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock de Anúncios Detectado

Favor Desabilitar Bloqueador de Anúncios. Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios