PREFEITURA DE ANDORINHA
BANNER NOVO DE PONTO NOVO
Regional

Caixa Econômica Federal vai fechar 100 agências no país

Caixa Econômica Federal vai fechar 100 agências no país

Em busca de lucros cada vez maiores, a Caixa Econômica Federal adotou uma estratégia de enxugar o quadro de servidores e reduzir o número de agências. De dezembro de 2014 até agora, o banco cortou 15 mil funcionários, fechou 30 agências e já tem outras 100 no radar. O levantamento é da representante dos trabalhadores no conselho de administração do banco, Rita Serrano.

Há pouco mais de duas semanas, a instituição lançou um programa de eficiência para reduzir gastos e economizar R$ 2,5 bilhões. A medida atinge todo tipo de despesas, como pagamento horas extras para funcionários, revisão de contratos de aluguel, de prestação de serviços e até mesmo economia com copinho de café, contou Rita. No Rio, a Caixa está mudando sua sede da avenida Almirante Barroso para o Porto Maravilha. Segundo ela, o banco também elevou juros, tarifas e só mais recentemente, reduziu taxas para empréstimos habitacionais, com atraso em relação à concorrência.

Para Rita, a Caixa está cada vez mais parecida com um banco privado:

– Banco público também tem que dar resultado, mas se ele é igual ao privado, perde a razão de existir – destacou Rita, acrescentando que a ideia é empurrar a população, sobretudo de baixa renda, para os correspondentes bancários, como lotéricas, dificultando o processo a bancarização e tornando o atendimento mais precário.

Ao mesmo tempo em que corta gastos, a Caixa realiza amanhã um evento com custo superior a R$ 10 milhões com caráter festivo para seis mil empregados de todo o país, que ganharam passagens para vir à capital.

– Para mim, isso é uma contradição – afirmou Rita, acrescentando que fez questão de deixar sua posição contrária à realização do evento durante a reunião do conselho de administração na semana passada.

– Responderam que era investimento, uma forma de motivar os funcionários – contou ela.

No evento, o banco vai anunciar que a meta para o lucro de 2018 será de R$ 9 bilhões e não mais R$ 7,3 bilhões, conforme fora projetado anteriormente. Em 2017, o lucro do banco foi de R$ 8,7 bilhões (valor que subiu para R$ 12 bilhões com a queda na provisão de gastos com plano de saúde dos funcionários).

Para Rita, o banco tem outras maneiras de fixar metas sem ter que fazer um gasto milionário:

– Todo mundo já está trabalhando sob pressão por resultado.

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock de Anúncios Detectado

Favor Desabilitar Bloqueador de Anúncios. Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios