Regional

Justiça bloqueia bens do prefeito de Jaguarari que agora terá 15 dias para se defender

Justiça bloqueia bens do prefeito de Jaguarari que agora terá 15 dias para se defender

A Juíza da Comarca de Jaguarari, DEFERIU PARCIALMENTE as medidas cautelares requeridas pelo Ministério Público, ajuizadas na Ação Civil PúblicaNº 8000103-94.2018.8.05.0139. A decisão da Magistrada caiu como uma bomba na vida política do prefeitoEVERTON CARVALHO ROCHA, da empresa T N VIEIRA ENTRETENIMENTOS – ME, seu proprietário THIAGO NASCIMENTO VIEIRA e seu sócio MARCELO EDUARDO NASCIMENTO VIEIRA e da tesoureira da prefeitura de Jaguarari, ELIANE COSTA DA SILVA, ao ordenar a indisponibilidade de bens pertencentes ao réus, suficientes para garantir o ressarcimento do erário público no valor total de R$ 3.975.500,00 (três milhões, novecentos e setenta e cinco mil e quinhentos reais), para atingir tal objetivo ficou determinado:

  1. Indisponibilidade de valores depositados em contas correntes através de bloqueio judicial eletrônico;
  2. Indisponibilidade de bens;
  3. Indisponibilidade de veículos registrados no DETRAN em nome dos denunciados;
  4. Bloqueio de transferência e apreensão no RENAVAN dos veículosMercedes Bense Toyota Hilux, em nome de Marcelo Eduardo Nascimento Vieira.

A decisão também decretou o afastamento dos sigilos bancários de todas as contas de depósitos, contas de poupança, contas de investimento e outros bens, direitos e valores em Instituições Financeiras em nomes de Thiago Nascimento Vieira, Marcelo Eduardo Nascimento Vieira e a empresa T N Entretenimentos – ME, oficializando o Banco Central para o devido cumprimento junto a todas as instituições financeiras onde os envolvidos possuam movimentações.

A decisão também decretou a quebra do sigilo fiscal, junto a Receita Federal, de Thiago Nascimento Vieira, Marcelo Eduardo Nascimento Vieira e a empresa T N Entretenimentos – ME, para que sejam descobertas todas as declarações fiscais dentro do período denunciado.

Os réus terão 15 dias para se manifestarem acerca das decisões a eles imputadas.

Em nenhum ponto da decisão há a menção sobre o deferimento ou indeferimento do pedido de afastamento do prefeito e funcionários, solicitado pelo MP, o que, segundo a interpretação jurídica, poderá acontecer a qualquer momento, na eventualidade de surgimento de novos fundamentos ou, se assim entender a Magistrada, após a defesa dos réus.

Fonte: Jaguararionline

Post Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique Também

Close

Adblock de Anúncios Detectado

Favor Desabilitar Bloqueador de Anúncios. Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios