‘Kannário é marginal, já o prendemos várias vezes’, diz comandante da PM

Foto: Alexandre Galvão/bahia.ba

Para o comandante geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Brandão, o cantor e vereador Igor Kannário é um “marginal”. Em declaração sobre a crítica feito pelo artista contra a PM, durante o Carnaval, ele afirmou: “Kannário foi muito infeliz naquela colocação”.

E completou: “Foi colocada uma imagem de frente, mas ninguém viu o que veio atrás. Quando a PM chegou na frente, a briga já era generalizada. Infelizmente [Igor Kannário] é um marginal, já prendemos ele várias vezes. Fico chateado quando vejo dando espaço a ele. Infelizmente ele não pode colocar um capacete [da PM] para ir pra rua, pois não reúne as condições. Ele não pede calma, como Leo Santana faz. Ele vai pra cima”.

O comandante geral criticou também o ator Bruno Gagliasso, que também avaliou negativamente o trabalho da polícia. “Eu já falei sobre isso, o ator foi infeliz. Foi muito infeliz. É um ato isolado. Sou contra excessos. Ele tem que ir pra rua. Ele tem que ver o que o policial passa. É fácil ficar no ar condicionado, no frio, dizendo que está errado. Se estiver errado, eu estou para corrigir. Agora não venha querer denegrir minha corporação”, disse.

Para ele, no entanto, os números da festa provam que ela foi “tranquila”. “Zero homicídios, redução de furtos e roubou. Não tivemos baleados no circuito. O que as pessoas querem mais?”, questionou.

Para Brandão, o caso do estudante Kaique Moreira Abreu, de 22 anos, agredido no bairro da Graça, foi atípico e poderia ter acontecido até mais distante dos circuitos do carnaval. “Aquele fato ali, se vocês me perdoarem, poderia ter acontecido até em Brotas, que não está no carnaval. Foi um gesto de maldade, de crueldade. Como uma pessoa pega uma barra de madeira, arremessa na cabeça da pessoa e depois sobe em um caminhão?”.

Fonte: Bahia.ba

em - Regional

Envie um Comentário