Secretaria de Educação reinaugura Biblioteca Pública Municipal Antônio Vieira em Tijuaçu

A Prefeitura Municipal de Senhor do Bonfim, através da Secretaria Municipal de Educação, reinaugurou na última Sexta (26/05) a Biblioteca Municipal Antônio Vieira na Comunidade Quilombola de Tijuaçu. A inauguração representa a oportunidade de oferecer serviços com base na igualdade de acesso para todos, sem distinção, e funcionará como um espaço sociocultural, com amplo acervo dos mais variados assuntos – preservando e difundo o conhecimento, principalmente sobre a cultura local, suas memórias e suas histórias. O ato solene foi aberto com apresentação cultural do Grupo Quilombola Percussão Afro e contou com a presença do prefeito Carlos Brasileiro, do vice Zé Antônio, secretários de governo, o vereador Carlos de Tijuaçu, convidados e a comunidade.

A Biblioteca Pública Municipal Antônio Vieira foi inaugurada durante o segundo mandato do prefeito Carlos Brasileiro, por seu vice e ex-secretário de educação Paulo Batista Machado, como forma de homenagear um bonfinense ilustre, Antônio Vieira, natural do distrito de Tijuaçu, bacharel em biblioteconomia, antropólogo social, PhD em ciências sociais e Conferencista nos Estados Unidos e no continente africano. “A partir de agora a população de Tijuaçu poderá ter acesso ao rico acervo disponibilizado nesse espaço que é de vocês. Aqui vocês encontrarão paradidáticos, livros para pesquisa e histórias infantis. Logo teremos muitos outros livros e vocês poderão conhecer muito mais sobre a sua própria cultura e principalmente sobre o cidadão e conterrâneo de vocês que dá nome à biblioteca”, finalizou.

Quem também se fez presente foi Alcione Vieira, sobrinha de Antônio Vieira, que fez questão de agradecer pela homenagem. “Gostaria de agradecer ao prefeito Carlos Brasileiro e a secretaria de educação Cristiane Maia, essa biblioteca representa muito bem Antônio Vieira e seu legado cultural”, falou. A secretária de educação Cristiane Maia, salientou que está em busca de estabelecer parcerias com UNEB, UFBA e UNIVASF afim de enriquecer o acervo, bem como com todos os pesquisadores através das suas teses, dissertações e monografias que falam da cultura quilombola.

em - Regional

Envie um Comentário