MEC divulga lista de cidades e instituições que receberão cursos de medicina, 6 cidades baianas estão na lista

O Ministério da Educação divulgou nesta terça-feira (27) a lista das cidades e respectivas instituições de ensino superior privadas selecionadas para a oferta de cursos de medicina referente ao programa Mais Médicos. A publicação foi feita no Diário Oficial da União. Foram selecionadas as propostas de 37 cidades (veja abaixo). A expectativa do MEC é de que sejam ofertadas pelos menos 2.460 vagas para formação de médicos. Agora as mantenedoras de instituições de ensino que tiveram propostas selecionadas serão convocadas para a entrega da garantia de execução e assinatura de termo de compromisso, processo a ser concluído até outubro próximo, segundo o MEC. Também está previsto o monitoramento da implantação dos projetos apresentados. De acordo com cada proposta selecionada, esse processo pode ser realizado entre três e 18 meses.

Os municípios selecionados são:

  • Alagoinhas (BA)
  • Eunápolis (BA)
  • Guanambi (BA)
  • Itabuna (BA)
  • Jacobina (BA)
  • Juazeiro (BA)
  • Cachoeiro do Itapemirim (ES)
  • Contagem (MG)
  • Passos (MG)
  • Poços de Caldas (MG)
  • Sete Lagoas (MG)
  • Jaboatão dos Guararapes (PE)
  • Campo Mourão (PR)
  • Guarapuava (PR)
  • Pato Branco (PR)
  • Umuarama (PR)
  • Angra dos Reis (RJ)
  • Três Rios (RJ)
  • Vilhena (RO)
  • Erechim (RS)
  • Ijuí (RS)
  • Novo Hamburgo (RS)
  • São Leopoldo (RS)
  • Jaraguá do Sul (SC)
  • Araçatuba (SP)
  • Araras (SP)
  • Bauru (SP)
  • Cubatão (SP)
  • Guarujá (SP)
  • Guarulhos (SP)
  • Jaú (SP)
  • Mauá (SP)
  • Osasco (SP)
  • Piracicaba (SP)
  • Rio Claro (SP)
  • São Bernardo do Campo (SP)
  • São José dos Campos (SP)

Polêmica – Publicado em dezembro de 2014, o edital que previa a seleção das instituições para criação das novas vagas de medicina, foi suspenso em outubro de 2015 pelo Tribunal de Contas da União. Na ocasião, a ministra Ana Arraes destacou em seu despacho que no edital do MEC não havia “delimitação clara dos critérios de habilitação, principalmente quanto à capacidade econômico-financeira” das mantenedoras. Somente em julho deste ano, o TCU determinou a liberação do edital. (Globo)

em - Regional

Envie um Comentário