Senado aprova impeachment, Dilma perde mandato e Temer assume Presidência Fonte: Último Segundo – iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2016-08-31/senado-aprova-impeachment-dilma-deixa-planalto-e-temer-assume-presidencia.html

Senado Federal na sessão que ocorreu horas antes da votação que derrubou Dilma, na madrugada desta quarta-feira

O Senado Federal aprovou por ampla maioria o impeachment da presidente da República Dilma Rousseff. A votação em plenário, realizada nesta quarta-feira (31), após uma semana de sessões do julgamento final, teve 61 votos a favor da saída da petista do Poder e apenas 20 contra.

Com o impeachment confirmado, Dilma deixa por definitivo a Presidência da República e pode perder seus direitos políticos por oito anos, tornando-se inelegível para qualquer cargo público, caso senadores decidam por isso. Seu vice, Michel Temer, por outro lado, assume por definitivo o comando do Palácio do Planalto até o fim do mandato para o qual sua chapa foi eleita dois anos atrás, em 2018.

O encerramento do processo nesta quarta-feira é uma grande vitória para Temer, já que era ele o maior interessado que o julgamento acabasse rapidamente – uma vez que o resultado claramente não mudaria em apenas sete dias, após quase um ano de disputas políticas para se conquistar adesão à ação no Congresso Nacional.

Um dos principais articuladores do impeachment dentro do PMDB, até março o maior aliado do Palácio do Planalto sob o Partido dos Trabalhadores, Temer tinha o objetivo de viajar à reunião do G-20, que se inicia na próxima sexta-feira (2) na China, já como presidente efetivo.

Além disso, o fato de as lideranças do Senado e do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), terem costurado para agilizar o julgamento, mostrou como a influência do agora chefe efetivo do Poder Executivo é grande junto aos parlamentares – diferentemente do que ocorreu com Dilma, que, isolada, acabou vendo o Congresso retirando-a do cargo pouco menos de dois anos após ter sido reeleita ao Palácio do Planalto.

Sessão emperrada

Após a sessão ter sido iniciada quase pontualmente, pouco depois das 11h, com a leitura do relatório com o resumo de todo o processo do impeachment feita pelo ministro Ricardo Lewandowski, responsável pela condução do julgamento final contra a petista, senadores do Partido dos Trabalhadores passaram a exigir, por meio de um destaque, que a votação do impeachment fosse feita em duas partes: a da cassação do mandato e a da retirada dos direitos políticos de Dilma.

 

em - Regional

Envie um Comentário