Para Renan, 1º dia de julgamento de Dilma no Senado foi ‘conturbado’

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou nesta quinta-feira (25) que ainda não decidiu se votará no julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff no processo de impeachment. Ele classificou o processo como “longo, enfadonho e cansativo”, e o primeiro dia de plenário como “conturbado”. “Sou presidente do Senado. É prudente me conduzir com isenção, equilíbrio e responsabilidade. Mesmo se eu já tivesse me decidido, e ainda não fiz, eu teria que me portar com prudência”, declarou no plenário a jornalistas. Na avaliação de Renan, o início do julgamento e o depoimento das duas testemunhas de acusação foram marcados pela disputa política entre senadores favoráveis e contrários ao impeachment. A sessão é conduzida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, mas Renan acompanha o processo na Mesa Diretora. “Meramente transformar a sessão de julgamento em confronto político pouco acrescentará ao processo. Era fundamental mais objetividade, tanto de quem vai perguntar quanto de quem vai responder. Os senadores terão um dia todo para debater, cada um falará por até dez minutos”, disse. “O primeiro dia sempre é mais tenso, conturbado, as partes conflitam mais nos pontos de vista”, continuou o peemedebista. O presidente do Senado evitou fazer estimativas sobre a extensão do julgamento – se vai avançar pelo fim de semana ou ultrapassar a terça-feira (30), por exemplo. Segundo ele, os procedimentos podem ser abreviados pelo cansaço dos parlamentares e pelo desgaste gerado por toda a tramitação do impeachment

em - Regional

Envie um Comentário