Grupo é preso por tentar fraudar concurso da Polícia Militar em Pernambuco

POLICIAMITITARA Polícia Civil de Pernambuco desarticulou um grupo suspeito de tentar fraudar o concurso da Polícia Militar (PM), que ocorreu na manhã deste domingo (29) em várias cidades de Pernambuco. De acordo com a corporação, a quadrilha tentou burlar o certame com a utilização de pontos eletrônicos para repassar gabaritos a uma pessoa que estava do lado de fora do prédio onde a prova era realizada. O grupo planejava atuar tanto na capital como no interior do estado. Ao todo, 13 pessoas foram presas, incluindo professores, candidatos e o líder do esquema.

De acordo com o diretor metropolitano da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Amaral, os professores fizeram as provas relativas às suas matérias e, faltando 15 minutos para o fim do tempo estipulado, saíram e entregaram os gabaritos para o líder, que estava dentro de um carro, em local não divulgado, no Recife.

Segundo o policial, o concurso não foi prejudicado, pois os agentes prenderam o cabeça da operação antes que pudesse repassar os gabaritos aos candidatos que seriam beneficiados com a fraude. Amaral acrescentou que a regra que estipula que os candidatos só podem deixar os locais de prova faltando 15 minutos para o fim, foi criada, justamente, para pegar esse grupo que já vinha sendo investigado.

“As famílias [dos candidatos] têm muito a lamentar. Pais e mães que estiveram aqui e presenciaram seus filhos sendo presos por fraude, justamente em um concurso de pessoas que vão tentar combater a criminalidade”, afirmou Joselito Amaral. Os suspeitos foram pegos em várias cidades do estado, mas a maioria deles na Região Metropolitana do Recife.

A polícia informou que as investigações continuam e outras pessoas podem estar envolvidas. Além dos presos, os agentes apreenderam modernos pontos eletrônicos e um Honda Civic prata, onde estava o líder do esquema. Todos os presos serão ouvidos e, na segunda-feira pela manhã, serão encaminhados para audiência de custódia. Todos responderão pelo crime de fraude.

Coordenada pela Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, as investigações tiveram início há pouco mais de um mês. O material apreendido foi encaminhado para a sede do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE), Cordeiro, Zona Oeste do Recife. Mais informações da ‘Operação Ponto Eletrônico’ serão divulgadas nesta segunda-feira (30) na sede da Secretaria de Defesa Social. Ao todo, 50 policias civis e 162 PMs trabalharam na operação. (G1-PE).

em - Regional

Envie um Comentário