Rui Costa reúne secretários e diz que Estado não pode, por enquanto, negociar salários com servidores

O governador da Bahia, Rui Costa, reafirmou nesta quarta-feira (30/3) que o Estado não tem condições de negociar salários com os servidores. A declaração foi dada durante reunião com secretários e dirigentes de empresas públicas. O encontro foi marcado para cobrar dos gestores os resultados do decreto de contingenciamento, publicado em novembro do ano passado com o objetivo de garantir a contenção de gastos e a regularidade no pagamento dos funcionários. O governador comparou os números do Estado nos meses de janeiro de 2014, 2015 e 2016. Ele destacou que a situação se agravou este ano em virtude da queda na arrecadação. “Temos que trabalhar muito e não podemos perder a capacidade fiscal”, frisou. Apesar da crise econômica, Costa garantiu que os serviços essenciais oferecidos pelo Governo serão mantidos. “É uma questão de responsabilidade e sobrevivência”, pontuou. Mais uma vez, o governador revelou sua preocupação com as despesas com pessoal, tendo em vista que esta já atingiu 47,55% do orçamento, superando o limite prudencial de 46,17%. Daí vem, a impossibilidade de negociar salários com os servidores. Em relação aos terceirizados, o governador determinou um estudo. “Essa situação dos terceirizados precisa ser resolvida com urgência. Os contratos precisam ser revistos de uma forma moderna e inteligente, porque é constrangedor e inadmissível permitir atraso no salário dos trabalhadores. É inaceitável. O modelo que atualmente adotamos gera prejuízos para o trabalhador, para as empresas e para o Estado”, finalizou Rui Costa.

em - Regional

Envie um Comentário